мãє

Festa de 1 ano sem gafes

Posted on: 09/01/2009

Faltam menos de 5 dias para a Carol completar 1 ano de vida e estou as voltas com os preparativos para o seu aniversário…
 
Localizei em minhas pesquisa pela internet uma reportagem da Revista Claudia que traz dicas para uma "Festa de 1 ano sem gafes" que se segue abaixo.
 


Festa de 1 ano sem gafes

Três consultoras de etiqueta entregam o serviço para tudo sair perfeito na comemoração do primeiro ano de vida do seu bebê

Ana Paula Franzóia

Chegou o momento de festejar o primeiro aniversário de seu bebê. E ele merece! Para tudo sair impecável, convidamos três consultoras de etiqueta e estilo para responder às dúvidas que assombram toda mãe (e organizadora de festas de criança) de primeira viagem: a jornalista Celia Ribeiro, autora dos livros Etiqueta na Prática e Boas Maneiras & Sucesso nos Negócios; Cláudia Matarazzo, mãe de uma menina de 7 anos, consultora e escritora, com dez livros publicados; e Christiana Francini, mãe de uma menina de 1 ano e de um garoto de 4 e autora de Segredos de Estilo e Grávida com Estilo.

Quem convidar – as crianças, os pais e as babás? Como os bufês cobram por pessoa, é preciso incluir a babá?
Uma criança pequena não vai desacompanhada, então o melhor a fazer é calcular pelo menos mais uma pessoa para cada convidado com menos de 7 anos. Ao convidar, a mãe do aniversariante pode perguntar quem irá acompanhar a criança. Hoje em dia muitas mães mandam a babá antes e chegam mais tarde, em geral depois do trabalho. Para Cláudia Matarazzo, o melhor é organizar uma festa menor, só para a família.

É legal convidar quem não tem filho?
Festa de criança não costuma ser o programa preferido de adultos, por isso o ideal é só convidar quem não tem filho se existir grande intimidade entre os pais e o convidado. Costuma ser o caso da madrinha e do padrinho do aniversariante ou de amigos mais próximos da família.

É preciso convidar apenas crianças pequenas?
Não, mas é fundamental levar em conta o tipo de recreação prevista para a festa, ressalta a consultora Celia Ribeiro. Crianças maiores já não ficam com a babá, mas exigem vigilância e entretenimento de acordo com a faixa etária.

Como convidar: basta um telefonema ou precisa de convite?
É sempre melhor que seja por escrito, até para que não haja enganos sobre endereço, data e horários – do início e do final da festa. Não tem de ser nada formal – basta um convite bonitinho, desses à venda em boas papelarias, ou mesmo um cartão criado no computador.

Quanto tempo antes se deve avisar sobre a festa?
Uma semana de antecedência é mais do que suficiente.

O que servir (às crianças e aos pais)?

Criança gosta de cachorro-quente, sanduíches, salgadinhos assados, pão de queijo, mini-hambúrgueres, pipoca e refrigerantes. Brigadeiro é o doce preferido, bem como balas e minichocolates. Aos adultos, podem ser servidos canapés e sanduíches mais sofisticados. Para beber, o mais comum é oferecer cerveja, mas uísque e champanhe também são boas escolhas.

Caso a criança estranhe aquele velho amigo da família, como agir?
Quando os pequenos estranham alguém, a melhor atitude é não forçar uma aproximação e explicar a situação ao adulto, que por sua vez deve entender o que se passa. Muitas crianças agem assim mesmo, e isso faz parte de seu desenvolvimento natural.

Os pais devem agradecer os presentes um por um?
Pode parecer estranho, mas em festa de criança os presentes só são abertos depois que todos se vão, o que evita tumulto entre os convidados mirins. Nos bufês, uma recepcionista anota o nome do convidado no pacote para que os pais do aniversariante possam saber quem deu o quê. Nos dias seguintes, é simpático ligar para comentar e agradecer.

Qual é o melhor horário?
O melhor horário para a festa de primeiro aniversário é às 5 da tarde. Se for sábado ou domingo, pode ser mais cedo.

É deselegante marcar hora para a festa terminar?
Não é deselegante, e sim necessário, marcar limite de horário: das 17 às 20 horas, por exemplo.

Hoje em dia, os bufês das grandes cidades delimitam o horário. O que fazer quando os convidados não vão embora e os funcionários do bufê começam a colocar as cadeiras para cima?
Os pais devem pôr no convite o horário do final da festa ou dizê-lo ao convidar pessoalmente. Caso algum convidado não perceba que a festa acabou, o melhor é pedir ao monitor que anuncie a última brincadeira. Todo mundo compreende.

O presente deve agradar à criança (brinquedo) ou à mãe (roupa)?
Para crianças de 1 ano, tanto faz, pois elas ainda não entendem bem o que está acontecendo. Já as maiores costumam não esconder a decepção quando abrem um pacote com roupa.

Tem de dar lembrancinha?
A lembrancinha não é obrigatória, mas foi institucionalizada nos últimos anos. Os pequenos convidados sempre esperam por ela no final da festa. Pode ser desde balas, pirulitos e bombons até brinquedinhos ou material escolar, como lápis de cor, massinhas de modelar, livrinhos de colorir. O importante é usar a criatividade e evitar peças pequenas demais, perigosas para crianças menores de 3 anos.

Quem não vai à festa deve mandar presente ou, no mínimo, ligar?
Isso vai depender da relação entre convidado e anfitrião, mas dar um telefonema não custa nada e sempre deixará uma boa impressão.

O que fazer quando a criança arma um barraco na festa – a mãe deve ir embora?
Se a criança der um piti e começar a chorar, a mãe ou quem estiver acompanhando-a deve retirá-la, sim. Mas a mãe do aniversariante sempre pode tentar amenizar a saia-justa, oferecendo algo que distraia a criança ou acalmando o acompanhante para que ele não fique ainda mais constrangido com a situação.

O que fazer quando os pais deixam o filho sozinho na festa e demoram a buscá-lo?
É fundamental ter o telefone do responsável pela criança, que pode ser pedido na hora em que ela for deixada na festa ou, melhor ainda, estar anotado na lista de convidados. Se ela foi "esquecida", o único jeito é ligar avisando que a festa já acabou e torcer para que o adulto tenha bom senso e venha rápido.

E se o aniversariante dormir antes dos parabéns?
Talvez seja sinal de que a comemoração foi muito longa. Para evitar o constrangimento, fique de olho e antecipe a hora de apagar a velinha se vir que seu filho está se cansando, ainda que nem todos os convidados tenham chegado. Se o bebê dormiu… o jeito é esperar acordar.


*A imagem ilustrativa deste post retire do site http://substantivolatil.com/wp-content/uploads/2007/12/bloganiversario1.jpg através de pesquisa na interent.

*A matéria "Festa de 1 ano sem gafes" retirei do site http://claudia.abril.com.br/materias/1867/ através de pesquisa na internet.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: